Total de visualizações de página

quarta-feira, 27 de julho de 2011

ESSA COISA DE VIVER

Vamos andando pela estrada 
Comendo pó, olhando a paisagem 
Mergulhados no passado fétido,
com o bolso cheio de balas 


Vamos andando sobre nossos
pecados 
Nessa estrada a procura de tudo
Deixando tudo para trás
Tateando a ilusão, enterrados na
até o pescoço ... enfeitado 
Com aquele colar de esmeraldas
negado pela vida ...
Na bagagem tanta desilusão 
No bolso aquele carnê com mil 
prestações... vencidas 
Na cabeça tantos sonhos com
cheiro de pesadelos ...
São janeiros ... dezembros 
pesando sem escoras ...
Mas vamos embora sonhando, 
Têm mais pó pra tragar... 
Mais paisagens para olhar ...
Talvez de presente... 
alguns poucos janeiros, ainda
com molho de medos 


(sulla fagundes)

Um comentário:

Canto Poético disse...

ESSA COISA DE VIVER

Bem parecido com o sofrer do povo necessitado de tudo, nesse nosso Pais. Verdades ditas em versos.
Muito bem colocado em rimas.
A dor mostrando o real.
Sentimento dolorido.

Meus parabens Poetisa Sulla

Com todo meu carinho, Inacelita