Total de visualizações de página

terça-feira, 17 de maio de 2011

Sem sono

não pude sonhar

refém da covardia da insônia

me aproximei de um livro esquecido



lembrei da história descrita ...

logo no primeiro parágrafo

falava de fatos e lentas meio comuns



mas também falava de gente ...

que faz da cabana, castelo ...

que guerreia na tempestade

sangra em desvarios ...



era comum a trajetória do moço

mas era fato ter vencido ...

era apaixonado o cavalheiro

mas... a dançarina o merecia ...



era .. comum ao leitor

era verídico o relato ...

já encantava o prefácio ...

era tão comum e tão mágico ...

meu primeiro diário de cabeceira



(sulla fagundes)

Nenhum comentário: