Total de visualizações de página

terça-feira, 24 de maio de 2011

Mudo

Ao lado da cama 
um pequeno móvel, imóvel ...
Chamado criado 


Carrega quatro gavetas, 
pelo menos o meu móvel ... criado 
Alguns objetos ... nelas ... coisa
antiga mais antiga que eu...
Velhas fotos quinquilharias... 


Bobagens de um tolo sonhador ...
Ocupado o velho criado, mudo, ali parado 
meio anestesiado ...
Não sei se me lembro onde o comprei 
ele me parece nem lembrar de onde veio ...
Não nos falamos ... ele mudo eu sem querer
me expressar.. 


Mas mudo
O sonhador
o olha... companheiro de residências 
residindo sempre, em má e boa companhia 
Surdo ...
cheira um velho lenço, guardado, em uma 
se suas gavetas, muda como ele...
Amarelado o tal lenço ... cheirando a passado 
toca às lembranças cegas...


Num tatear costumeiro ...
Deitado ao lado do mudo... criado 
criando teias ...
Criado parado sujo de poeira ...
ainda suporta um copo d'água e versos vagos 


(sulla fagundes)

2 comentários:

Reviragita Poesia disse...

Posso deixar um poema?

Já que você veio,
se o que eu fizer está bem feito,
já que trouxe a garrafa de vinho,
vamos pedir uma pizza a quatro queijos.
Ou mussarela com bacon?
Vamos aproveitar o friozinho.
Vamos usar o bom senso
e degustá-la com beijos.

Cecília Fidelli.

Reviragita Poesia disse...

Posso deixar um poema?

Já que você veio,
se o que eu fizer está bem feito,
já que trouxe a garrafa de vinho,
vamos pedir uma pizza a quatro queijos.
Ou mussarela com bacon?
Vamos aproveitar o friozinho.
Vamos usar o bom senso
e degustá-la com beijos.

Cecília Fidelli.